HOME | PREVISÃO | ALERTA REDES | FOTOS | VÍDEOS | BOLETINS | CAMS AO VIVO | RESSACÃO | NOTÍCIAS | CONTATO

RAQUEL HECKERT - Guria Casca Grossa
Voltar  Home  Imprimir esta página   30/11/2016


Por Thiago Rausch

Conheci a Raquel Heckert há uns 4 anos em Puerto Escondido, uma guria muito corajosa, humilde e dedicada. Desde então, esta surfista local de Itacoatiara - RJ se "jogou no mundo", viajando por México, Hawaii e Indonésia durante os últimos anos. Atualmente, a niteroiense mora no Hawaii e tem se dedicado muito a Waimea, onde foi destaque na temporada passada.

Abaixo, vocês conferem um pouco mais sobre a bela história da Raquel.

Ficha técnica:

- Meu nome é Raquel Heckert, tenho 23 anos e sou surfista de Itacoatiara - Niterói (RJ).

Como iniciou no surf:

- Me apaixonei pelo mar, por influência do meu pai, e comecei a surfar por vontade própria. Como eu não tinha companhia e família próxima que surfasse, tive que provar que era independente o suficiente para ir surfar sozinha, e explicava que não ia ter perigo, pois sempre tinha alguém por perto, ou quase sempre tinha, hehehe. Tive que provar que eu podia ter notas boas e também surfar, e com isso fui sentindo o quanto o surfe era importante para mim.

Influências:

- Eu ficava impressionada vendo o Bruno Santos e o bodyboarder Dudu Pedra surfando tubos enormes em Itacoatiara e, como consequência, a minha admiração pelo surf foi crescendo e refletindo nas minhas vontades, que geraram atitudes de entrega e dedicação total ao esporte.

Surf ou Competição:

- Eu já participei de muitos campeonatos no Rio de Janeiro, São Paulo e Florianópolis, também participei de uma competição no México, em Puerto Escondido, organizado pela Red Bull e o Coco Nogales, onde cheguei até às semifinais. No entanto, apesar de sempre competir quando tenho a oportunidade, minha profissão é Free Surfer.

Caso de amor:

- Eu amo adrenalina! Fico anestesiada ao passar dentro de um tubo ou ao pegar uma onda perfeita, é algo que me prende e me faz querer vencer. Creio que pelo fato de eu ter o privilégio de morar próximo à praia de Itacoatiara, onde se encontra uma das ondas mais tubulares e pesadas do país e do mundo, acabei desenvolvendo o desejo de quebrar meus limites buscando essa adrenalina de enfrentar os tubos.

Ainda mais amor:

- Sou apaixonada pelo surfe, é algo que não consigo medir. Sei que Deus colocou essa paixão em meu coração, algo que simplesmente amo e sigo com muita dedicação. Quando fiz minha primeira viagem para Fernando de Noronha, eu já senti algo pelo surfe que não sabia explicar, queria viajar o mundo pegando ondas.

Momento marcante:

- Ao fazer minha primeira viagem internacional, para o México, tudo mudou! Eu não tinha mais para onde correr. Ter a experiência de entrar em um mar de 20 pés, com uma prancha minúscula e assistir a todos surfando tubos incríveis foi muito marcante. A cada vez que entrava no mar, eu saia com um corte diferente, hehehe. Tomei muitas vacas e pranchadas para pegar os tubos, mas voltava toda sorridente pra pousada contando minhas histórias, amarradona! Eu estava fissurada, eram as melhores ondas que já tinha surfado até então!

Preparação física:

- Com relação aos treinos perto de casa, geralmente, faço musculação, trilha, ando de skate, nado e sempre que não estou procurando patrocínio e resolvendo minhas tarefas do dia a dia, estou no mar surfando.

A trip:

- Em 2013, eu fui pela primeira vez para Indonésia. Nossa, aproveitei muito! Foi uma das melhores viagens da minha vida, aquelas ondas são muito perfeitas! Entretanto, Hawaii e México, são meus lugares preferidos, sem falar em Itacoatiara...

Medo:

- É bom lidar com limites, sinto que o medo me motiva no surfe e, também, me faz querer controlá-lo e entender qual é o meu limite do momento, até onde posso ir e como devo fazer para equilibrar minhas emoções. Por minha experiência, vejo que há dois tipos de limites, um que posso ultrapassá-lo porque é só a minha mente que me bloqueia de vencer o suposto desafio, e outro limite, que é o que devo respeitar, no momento, para não me dar mal. Hahaha!

Na fé, não na sorte:

- Embora eu não tenha, ainda, patrocínio financeiro para as viagens, Deus sempre coloca um acontecimento ou alguém no meu caminho que valoriza a minha vida profissional e me incentiva a prosseguir.

Bagagem:

- Já fui duas vezes pro México, duas pro Peru, duas pra Indonésia, duas pra Fernando de Noronha e temporada passada, tive minha primeira temporada havaiana, que contribuiu muitíssimo para minha evolução. E agora, estou pronta para a segunda temporada no Hawaii, que já começou muito bem com o convite para ser alternate no Peahi Challenge, o primeiro campeonato mundial de ondas grandes para mulheres, só de viver o ambiente ali, foi demais!

Pode acreditar:

- Temporada passada, teve um campeonato feminino de ondas grandes num Outer Reef há 3km de Haleiwa. Não fui convidada, mas madruguei, peguei carona, venci o medo de pagar mico - era um campeonato americano fechado só para convidadas. Enfim, esperei um bocado, fui procurar os barcos para descobrir qual ia para o Outer Reef com a equipe de meninas, e no final das contas acabei competindo. Não venci, mas ganhei US$600,00 dólares por ter competido, grana essa que me levou pra Indonésia. Foi incrível! Passei o dia inteiro surfando 12 pés perfeitos com séries maiores no meio do oceano com mais 7 mulheres, e sendo filmada para um programa do Canal Insight Tv, da tv americana. Sem dúvida, um dos melhores dias da minha vida!

Sonho nobre:

- Meu sonho é viajar o mundo surfando ondas que me façam romper meus limites e me façam me apaixonar pelo surfe todos os dias. E também quero muito ajudar as pessoas como eu puder, por onde eu passar.

Lembrando que, atualmente a Raquel está sem um patrocinador principal. Quem quiser ajudar de alguma forma esta guerreira do surf brasileiro, seguem seus contatos.

Email: raquel-heckert@hotmail.com

Instagram: @raquelheckert


  

Voltar       Home        

Copyright by Xandão e Pitol.net
Websul Ondas do Sul